Tamanho do texto

O vídeo fala sobre liberdade de expressão e brinca com a fala que dita cores de "menino" e de "menina"

Recém chegada nas plataformas digitais (no último dia 31), a faixa "Proibido o Carnaval" foi a aposta de Daniela Mercury e Caetano Veloso para ser o hit de um dos feriados mais queridos dos brasileiros. Já era certo que o clipe viria logo em seguida: a cantora havia divulgado em suas redes sociais. 

Leia também: Revista cita 25 artistas que deveriam ganhar um Grammy

Daniela Mercury e Caetano Veloso durante a gravação de
Instagram
Daniela Mercury e Caetano Veloso durante a gravação de "Proibido o Carnaval"


Lançado hoje (05) no YouTube, o novo vídeo de  Daniela Mercury em parceria com Caetano Veloso já acumula 13 mil visualizações em apenas 5 horas. Cheio de cores e bem carnavalesco, o clipe mostra Daniela e Caetano em momentos de felicidade, mas fazendo críticas sociais ao atual Presidente da República e uma de suas Ministras.

Leia também: Bring Me The Horizon vem ao Brasil em show solo; confira datas

Assista "Proibido o Carnaval":

A letra aborda censura, homossexualidade e o questionamento de cor de "menina" e "menino", que foi abordado pela ministra na fala "meninas usam rosa, e meninos, azul."

Acompanhe a letra:

Tá proibido o Carnaval
Nesse país tropical
Está proibido o Carnaval
Nesse país tropical

Tô no meio da rua, tô louca
Tô no meio da rua sem roupa
Tô no meio da rua com água na boca
Vestida de rebeldia
Provocando a fantasia

Tô no meio da rua, tô louca (hum)
Tô no meio da rua sem roupa (ah é)
Tô no meio da rua com água na boca
Vestida de fantasia
Provocando a rebeldia

Minh'alma não tem tampinha
Minh'alma não tem roupinha
Minh'alma não tem não tem caixinha
Só tem asinha

Minh'alma não tem tampinha
Minh'alma não tem roupinha
Minh'alma não tem não tem caixinha
Minh'alma só tem asinha

A mulherada comandando a batucada
O trio elétrico cantava libertando a multidão
Frevo fervando no Galo da Madrugada
Pernambuco não parava de fazer revolução
Filhos de Gandhy, o afoxé na resistência
O Caboclo era soldado
No Brasil da Independência

No crocodilo
Stonewall, estou aqui
No carnaval beijando free
Salvador é a nova Grécia

Quilombola, Tupinambá
O corpo é meu, ninguém toca
Vatapá, caruru
Iemanjá lá no sul
Vai de rosa ou vai de azul?

Abra a porta desse armário
Que não tem censura pra me segurar
Abra a porta desse armário
Que alegria cura
Venha me beijar
Abra a porta desse armário
Que não tem censura pra me segurar
Abra a porta desse armário
Que alegria cura
Venha me beijar

Tá proibido o Carnaval
Nesse país tropical
Está proibido o carnaval
Nesse país tropical

Tô no meio da rua, tô louca (a louca)
Tô no meio da rua sem roupa (uau)
Tô no meio da rua com água na boca
Vestida de rebeldia
Provocando a fantasia

Minh'alma não tem tampinha
Minh'alma não tem roupinha
Minh'alma não tem caixinha
Minh'alma só tem asinha
Minh'alma não tem tampinha
Minh'alma não tem roupinha
Minh'alma não tem caixinha
Minh'alma só tem asinha

A liberdade, a Caetanave, a Tropicália
O povo de Maracangalha
Sai dançando o meu axé

O samba ensina
O samba vence a violência
O samba é a escola de quem ama
Esse país como ele é

Eu falei faraó e ninguém respondeu
Quem come aqui sou eu, romeu
Libera a libido
Forró em Caruaru, é?
Vai de rosa ou vai de azul?

Abra a porta desse armário
Que não tem censura pra me segurar
Abra a porta desse armário
Que alegria cura
Venha me beijar

Abra a porta desse armário
Que não tem censura pra me segurar
Abra a porta desse armário
Que alegria cura
Venha me beijar

Tá proibido o carnaval
Nesse país tropical
Está proibido o carnaval
Nesse país tropical
Axé (proibido) axé, axé, axé
(É proibido proibir) axé, axé, axé

Ficou safada

Leia também: Assista "Seu Crime", novo de Pabllo Vittar

A alfinetada das cores também veio em uma cena onde Daniela está em uma banheira cheia de bexigas azuis, e Caetano, na mesma banheira em outra cena, só que com bexigas rosas. É a primeira vez que  Daniela Mercury e Caetano Veloso cantam juntos.