Tamanho do texto

O novo trabalho conta com a participação de Gloria Groove e Hiran

Não é de hoje que o grupo LGBT Quebrada Queer está fazendo sucesso. Com uma proposta inovadora - ser o primeiro grupo de rap composto apenas por homossexuais - os seis integrantes acabam de lançar seu primeiro EP: "SER".

Leia também: Confira quem irá se apresentar no prêmio WME 2018 amanhã (04)

Grupo de rap LGBT Quebrada Queer
Reprodução/Facebook
Grupo de rap LGBT Quebrada Queer


O nome "SER" não foi escolhido em vão; "Sobre Existir e Resistir" é o significado das três letras. O grupo musical  LGBT ainda fez parceria com dois grandes nomes também do movimento: a dagr queen Gloria Groove e o rapper Hiran. 

O grupo, inicialmente formado por Guigo, Harlley, Lucas Boombeat, Murillo Zyess e Tchelo Gomez, incluiu a DJ e produtora Apuke, para dar um toque feminino às produções. O EP "Ser" conta com cinco faixas, incluindo "Pra Quem Duvidou", o hit de sucesso. 

Ouça "SER":


Todas as faixas do novo EP já têm clipe. Assista:

"Sem Terror":

"Pra Quem Duvidou":

Leia também: Projeto póstumo de David Bowie é lançado; ouça "Glastonbury 2000"

"Quem":

"Arruda":

"Templo":

Antes de formar o grupo, os integrantes já tinham carreira solo. Mas foi só após a formação do Quebrada Queer que os seis começaram a viver apenas dos ganhos com a música, deixando os empregos paralelos de lado.

A mensagem do Quebrada Queer é bem clara segundo Lucas, em entrevista ao Estadão. "Nós estamos vendo crescer o ataque à população LGBT, então nosso objetivo é atingir todo mundo. Dentro e fora da nossa bolha. Para mostrar que as ‘bichas’ podem tocar no rádio, que elas podem fazer rap e que merecem respeito acima de tudo", conta. 

Leia também: Exposição sobre carreira de Björk chega ao Brasil em 2019

Grandes artistas do meio LGBT , como Pabllo Vittar, criticaram positivamente o grupo. Diferente de muitos cantores e cantoras que se utilizam da minoria para ganhar o que chamam de "Pink Money" - dinheiro que é ganhado cantando sobre o assunto mas não lutando contra o preconceito, o Quebrada Queer ressalta que nem tudo é "close", e sim, sofrimento e dificuldade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.